Uma história triste de Natal – Katia Di Giaimo

Atualizado: Out 13

Bem, vou contar uma história que aconteceu hoje, portanto está fresquinha…rs


Meu marido na hora do almoço começou a contar uma história que tinha lido na internet, e desenvolveu a narração, quando acabou ele olhou para mim, lógico que eu estava banhada em lágrimas, como pode um empata não sentir a tristeza e não desabar no choro.


Estava no meio do restaurante, ninguém entendeu nada do que havia acontecido comigo naquele momento.


Entrei na história e no sentimento da pessoa que vestia a fantasia do Papai Noel, senti a tristeza da família que carregará para sempre o fato ocorrido e talvez possa até virar uma lenda para os familiares envolvidos no drama, e senti a tristeza do menino, que queria saber como seria dali para a frente.


Leiam a história e vejam se sou a única empata a sentir isso.


Evito ler e assistir coisas tristes, realmente para tentar controlar os pensamentos e não entrar na sintonia dos fatos que ocorrem que podem me entristecer, mas o marido vir contar, foi demais….rs…não pude evitar o choro. (recaída de uma empata tentando sobreviver ao natal)


Foi depois que li a história toda e fiquei mais serena, pensei no outro lado, que lindo a pessoa vestida de Papai Noel poder dizer à maneira dele que havia vida após a morte, e ainda nomeou o menino em seu duende, o número 1, sem saber ele foi o condutor de sua alma ao outro lado da vida.


Penso nesta história e vejo o quanto podemos aprender em todas as situações e que podemos muitas vezes, com as nossas palavras levar o conforto para alguém que está prestes a partir desta vida.


Confiram o link e o vídeo, mas preparem os lenços de papel.



http://g1.globo.com/mundo/noticia/menino-em-estado-terminal-morre-nos-bracos-do-papai-noel-nos-eua.ghtml

Fonte: g1.globo.com e canal de notícias no Youtube

1 visualização
FALE COM A KATIA!

contato@empatas.com.br 

© 2020 por Katia Di Giaimo. Empaticos, Mediunidade, Empata, Empatas, Medium Esponja - Agência Uru