CARTA AOS NÃO EMPATAs - Por Rubia Zanettini

Atualizado: Mar 3



Aos não empatas… Sem vocês, nós não saberíamos de fato o que é ser amor!


De formas pejorativas ouvimos …”Como você é sensível”…”Como você é mimada (o)”… “Como você é melindrosa (o)”…”Como você chora á toa”…”Nossa, como você sabe disso, se eu não te falei nada?”…”Você é esquisita (o)”…


E a lista segue e com ela, a nossa vontade de ser “normal” igual a vocês.


Mas não dá…nos desculpem! Ouvimos essas frases desde criança.


Conflitos internos foram criados e nos perguntávamos,  


“por que eu sou assim?”


” Por que eu enxergo as situações, ambientes de forma diferente?”


“Por que choro por qualquer coisa?” Por que?… Por que?… Por que?…


Ouvimos somente os ecos dos porquês dentro de nossas cabeças, pois essas perguntas geralmente não são externadas para o mundo.


Ficam guardadas aqui dentro. “Já sou considerada fraca(o), perguntar isso então me fará ganhar o título de “ A (O) fraco do ano”.


Nos acostumamos a ser rotulados dessa forma e a sorrir o sorriso dos “normais”, mas dói aqui no peito, sabiam?


Em nós, temos a convicção, “não sou assim fraco”.


Se soubessem o esforço que fazemos para parecer que está tudo bem, está tudo dentro do “normal”  e o quanto isso nos desgasta, precisamos ser muito fortes.