Empatia: A arte de ver o mundo com os olhos dos outros

Atualizado: Out 13




Ola amigos Empatas, Sensitivos e Médiuns Esponja:

Enquanto o mundo grita que precisam que as pessoas SINTAM e SEJAM EMPATAS, que tenham mais empatia, nós aqui dizemos que sofremos a reverberação dela na própria pele.

O mundo pede por mais empatia e alguns de nós, reclamam porquê as tem em demasia….

Ah, se o mundo tivesse mais Empatas, teríamos  uma condição bem melhor de vida, jamais faríamos mal ao outro, por saber exatamente o que ele sente e o quanto ele sofre com a maldade alheia.


Quem dera, (não generalizando), se políticos, médicos, arquitetos, engenheiros, industriários, comerciantes, feirantes, corretores, padres, gurus, pastores, tivessem arraigados dentro deles a empatia…

Ah, nosso mundo seria bem diferente….e muitooooo melhor, não acham?

No texto abaixo diz que podemos aprender a ter empatia, não acho que aprendemos, ou temos ou não temos.

Retirado do texto abaixo: Na década de 90 cientistas descobriram a existência de um tipo de célula do nosso cérebro que foi denominada “neurônio-espelho”.

Bem, se isto é real, quantos neurônios-espelho nós empatas temos?


Boa leitura!


____


EMPATIA: A ARTE DE VER O MUNDO COM OS OLHOS DOS OUTROS!


Empatia é uma habilidade sócio emocional que faz parte da nossa constituição enquanto seres humanos. É um canal de conexão com o outro de forma a reconhecer, compreender e reproduzir emoções alheias como se estas fossem suas.


Sabe aquela emoção que sentimos quando assistimos um filme e parece que estamos vivenciando os sentimentos dos personagens? Ou aquela angústia que sentimos quando temos notícias sobre alguma tragédia ou dor de outras pessoas?

Esse sentimento se chama empatia!


Não é a toa que o termo foi usado pela primeira vez no âmbito das artes, da literatura e teatro, para indicar a identificação entre o artista e o espectador que projeta a si mesmo na obra de arte.


A psicologia moderna define empatia como a resposta afetiva apropriada à situação de outra pessoa e não a própria. Ou seja, sentir a emoção do outro, enxergar a partir de seu ponto de vista, compartilhar sua emoção.



Eu costumo dizer que a capacidade de empatia é o que constrói todo e qualquer relacionamento emocionalmente saudável… é o exercício constante da empatia que separa os verdadeiros líderes dos chefes medíocres, constrói casamentos felizes, sela laços verdadeiros de amizade, forma empreendedores extraordinários, professores inesquecíveis, profissionais de saúde humanizados,  políticos mais éticos, e equipes de alto desempenho… Ou seja, é a capacidade de se colocar no lugar do outro que nos torna seres humanos melhores, pessoal e profissionalmente.


A empatia é tão importante que ela é um requisito básico para a nossa sobrevivência. É a capacidade de empatia da mãe que permite compreender e suprir as necessidades do bebê. Sabe aquele chorinho que só a mãe sabe se é fome ou sono? Pois é, o bebê precisa ter suas emoções reconhecidas de maneira empática uma vez que não sabe se expressar.


Assusta perceber que hoje vivemos em um mundo tão pouco empático, onde cada um se enclausura nos seus próprios problemas, na sua própria vida e não se dispõe a compreender a perspectiva do outro. Assim, vivemos tempos onde sobram julgamentos e atitudes egoístas.


Paradoxalmente, a capacidade de sentir o que o outro sente é inerente ao ser humano. Na década de 90 cientistas descobriram a existência de um tipo de célula do nosso cérebro que foi denominada “neurônio-espelho”.


Esse neurônio é acionado quando executamos uma ação ou sentimos alguma emoção, nos possibilitando reproduzi-la posteriormente; ou ainda, quando vemos outra pessoa executando algo. Neste caso, tanto o conteúdo quanto a emoção que a outra pessoa expressa é assimilada por nossos neurônios-espelho, e assim conseguimos nos colocar no lugar do outro e entender aquela sensação.

Mas se esta é uma capacidade inerente ao ser humano, porque falta tanta empatia no mundo?


A grande verdade é que possuirmos a capacidade de se colocar no lugar do outro não nos torna seres empáticos, apenas nos instrumentaliza para isso. Empatia é uma característica da inteligência emocional, e sendo assim, precisa ser desenvolvida e cultivada.

Apenas uma mentalidade de empatia nos torna seres empáticos! E isto requer esforço e vontade.


Desenvolver uma mentalidade empática requer paciência. Exige tempo para se dispor ao outro, para silenciar a mente e perceber o que acontece ao redor, para se esvaziar de si e liberar espaço para conexões profundas com realidades diferentes das suas.


Dalai Lama diz que são aqueles com quem estamos em conflito que são nossos professores mais importantes. Assim, a necessidade de desenvolver a capacidade de empatia é tão essencial para a resolução das nossas pequenas questões do dia a dia, como para encontrar caminhos para a resolução problemas mundiais como a violência, intolerância, fome, abusos dos direitos humanos, e até os problemas ambientais.

Isso porque só o exercício de tentar se colocar no lugar do outro nos faz expandir nossa capacidade de compreensão sobre os problemas que nos rodeiam. Tendemos a enxergar o mundo a nossa volta de maneira muito limitada, uma vez que nossa percepção está condicionada por nossas experiências pregressas, sejam elas vivências, sentimentos, conhecimentos ou recordações. Assim, quando nos colocamos no lugar do outro, tomamos emprestado sua capacidade de percepção do mundo, tornando a nossa muito mais rica.

Ter empatia é calçar os sapatos alheios e percorrer emocionalmente o mesmo caminho adquirindo a compreensão de um percurso que não é seu. É visitar a mente do outro e ter a chance de expandir a sua.

Com uma mentalidade empática você passa a compreender as necessidades das pessoas ao seu redor, assim como entende melhor a percepção que cria nos outros através de suas palavras e ações.  Passa a ter menos conflitos interpessoais para lidar no trabalho, em casa e na vida.

Consegue se comunicar de forma mais eficaz com as pessoas e passa a lidar melhor com a negatividade dos outros ao entender suas motivações e medos.

Assim é fácil perceber como a empatia é uma força poderosa. Ela capaz de promover mudanças nos diversos meios por onde andamos. E o mais importante é que é possível desenvolver uma mentalidade empática. Podemos fazer esse exercício diariamente, com nossas famílias e em nosso ambiente de trabalho, buscando conscientemente se colocar no lugar do outro, especialmente, daqueles de quem discordamos.

Exercite empatia! Se esforce para romper diariamente com os rótulos que colocamos no outro… Esse é um grande desafio, mas enxergar o mundo com os olhos de outra pessoa pode nos mostrar dores e belezas que não imaginávamos existir… pratique!!!



Fonte: o segredo

0 visualização
FALE COM A KATIA!

contato@empatas.com.br 

© 2020 por Katia Di Giaimo. Empaticos, Mediunidade, Empata, Empatas, Medium Esponja - Agência Uru