Explicando sobre energias - Katia di giaimo

Primeira coisa e mais importante de todas é estar consciente da nossa sensibilidade energética, onde estamos no momento presente, o que estamos fazendo naquele local e ficar perceptivo e investigativo com relação a tudo que sentimos, seja cansaço físico, dor de cabeça, ficar bocejando, enjoo, dor no estômago, tristezas que começam a tomar volume dentro de nós a partir de lembranças ou pensamentos em "looping", estados de ansiedade, euforia, alegria, e todos os sinais físicos e energéticos que podem acontecer durante essas percepções.


A observação e investigação deve ser feita com todos os seus sentidos, estejam próximos a você ou não, pelas sensações internas e externas é o melhor que você pode fazer com a sua sensibilidade.

Anotar essas sensações até que descubra qual é o seu padrão energético ao longo de um dia, semana, mês, ano ou durante toda a sua vida.


Não é simples trazer informações do mundo espiritual ou senti-lo, na grande maioria das vezes sentimos mal estar e as energias mais densas, esvaziamos nossas forças sem entender muito bem porquê isso está acontecendo, mas também trazemos muita coisa positiva do mundo extra-físico.

Eu tenho certa dificuldade pra manter o foco e a organização da consciência naquilo que preciso fazer, um exemplo do que estou dizendo:

Recebo as informações truncadas e aos poucos a ideia vai se transformando em texto e video. Tudo que penso pra gravar é perfeito, mas quando uso a fala e a escrita, parece que perco praticamente 3/4 ou mais do que queria trazer de informação, por isso vou anotando tudo que recebo em forma de ideias e vou organizando para trazer pra vocês.

Esse "organizar"no campo dos pensamentos faz toda a diferença com relação às energias mais sutis.


Essa semana tive uma experiência mais pesada, vamos chamar assim. Estava ao lado do leito da minha mãe na UTI, tudo escureceu e eu tonteei achei que fosse desmaiar, percebi um padrão diferente algo que não era meu.

Se eu não soubesse e não estivesse atenta ao meu padrão energético, acharia que fiquei "mal"somente por causa de um enfraquecimento do organismo e qualquer um diria que foi algo passageiro.

Fiz um teste ali mesmo, mudei minha posição no ambiente rodeei a cama dela e fui para o outro lado, imediatamente notei uma melhora.

Havia ali uma consciência desencarnada e se aproximou para pedir ajuda, meu campo áurico "sentiu"no mesmo momento.


Por isso devemos estar atentos a tudo que acontece no nosso corpo físico, um mal estar qualquer, porque sentiremos pelos pontos mais frágeis do nosso corpo, para alguns é a cabeça, outros estômago, os rins filtram muito do ambiente causando maior diurese, e assim vai.


Existe também as pessoas que trazem algumas experiências no corpo de outras vidas, isso já é outro assunto, porque são resgates karmicos, que em determinado ponto da vida ou desde o nascimento enfrentarão doenças graves e lutarão/aprenderão com ela uma boa parte da vida encarnada, e ainda muitas fragilidades ou distúrbios diversos no campo emocional.

Fica meu convite para assistirem os vídeos, tem muito mais conteúdo onde cito algumas experiências que fiz com as energias.




Video na íntegra sobre as Mulheres Ectoplastas Parapsiquicas que citei do Professor de Conscienciologia Marcelo Silva:


  • Trabalho energético que sempre falo e deixo como orientação mobilização básica das energias ou MBE para atingir o Estado Vibracional como forma de manter uma homeostase.






170 visualizações1 comentário
FALE COM A KATIA!

contato@empatas.com.br 

© 2020 por Katia Di Giaimo. Empáticos, Mediunidade, Empata, Empatas, Medium Esponja - Empatia - Agência Uru