HÁ VÁRIOS PSICOPATAS ENTRE NÓS

Quando menos esperamos algo nos faz parar pra pensar e aprender.

Estava respondendo aos posts do canal no youtube, e me deparei com a mensagem abaixo, lógico que fiquei chocada.


RELATO DE UM PSICOPATA (inclusive com os erros de português e abreviações):

“Taquei fogo no gato morto tentei arrancar a cabeça de um Cachorro morto com uma enxada sempre fui o mais novo e o mais corajoso quando mato um rato eu bato nele até os órgãos dele sair para fora já matei uma galinha cortando o pescoço dela com uma faca ñ sinto as emoções igual as outras pessoas quando alguém morre eu ñ choro já cometi uns delitos gostei muito da adrenalina quando ia para escola só aprontava ñ conseguia sair de confusões essa São umas das maldades q já fiz Via meu pai chegando bêbado batendo na minha mãe ñ ganhava brinquedo roubava brinquedos de outras crianças e ñ sentia nada manipulava outras crianças quando machucava elas é elas ia fala pra minha mãe ou a professora mentia a história distorcida a história me sai de vilão para vítima já fiz as pessoas brigar consigo ganhar a confiança das pessoas muito rápido já fiz tantas coisas tenho certeza q sou um psicopata”.


A divulgação do comentário sem relatar o nome da pessoa foi para demonstrar o quanto uma pessoa pode ser psicopata. Espero que com esse relato possam entender como uma mente perturbada que não recebeu afeto, pode agir.

Pode não ser nesta vida o aprendizado, mas em muitas e muitas vidas, pela falta de consciência que essa pessoa possui e como ela, existem muitas outras.

Se não valoriza a própria vida, porque valorizaria a do outro?

Também quero que pensem o quanto estamos vivendo todos juntos e misturados para puro aprendizado da vida.


Fiquei chocada realmente com a falta de sentimentos, mas se observarmos atentamente, ainda na infância podemos detectar traços psicopáticos pelas ações, pela falta de amor, pelas atitudes com os animais, enfim…

A criança já nasce psicopata, são traços fortes da alma e o olhar atento dos pais que devem auxiliar essa criança, observar o crescimento dela com um olhar muito criterioso, tentando ensinar o afeto, levar a um psiquiatra para auxiliar o desenvolvimento emocional delas desde a mais tenra idade.


Mas isso me fez pensar no quanto devemos estar atentos com quem falamos e trocamos nossas INTIMIDADES, porque pode ser alguém muito sem consciência e alguém muito mau a nos ouvir, nosso olhar deve estar em NÓS, nunca no outro. Podemos estar muito próximos de alguém com essa “maldade” na alma e como alguém assim pode “aconselhar”, conviver, se relacionar com outra pessoa?

Prestar maior atenção naqueles que estão próximos a nós.

O empata tem tendência a acreditar e confiar em tudo e em todos, cuidado para não se machucar.


Utilizem suas percepções empáticas para ser um observador da vida.

105 visualizações
FALE COM A KATIA!

contato@empatas.com.br  - © 2020 por Katia Di Giaimo. Agência Uru