Pessoas “Tóxicas” ou “Vampiros Emocionais”

Atualizado: Set 17

Aqui está um texto bem escrito, falando de modo simples com explicações lógicas. Fato, somos e nos relacionamos com todos os tipos de pessoas, aprender como fazer isto de forma a não drenar as energias do outro e nem ser drenado, é a questão que temos que aprender. Não dá para nos escondermos, viver é isso, é misturar tudo e tirar o melhor proveito, viver a vida afinal. Algumas vezes isto é simples, outras, muito complicado….rs Não esqueçam de opinar.


Grande abraço.


------


Já alguma vez lhe aconteceu de estar com alguém e de repente começar a sentir um mal estar inexplicável, independentemente de quem fosse a pessoa (amigo, familiar, colega)? Ou, ao contrario, já alguma vez se apercebeu que algumas pessoas se sentem mal repentinamente na sua presença?


O que é uma pessoa tóxica/vampiro emocional?


O Vampiro emocional é aquela pessoa que drena as nossas energias, deixando-nos completamente esgotados, física, mental e emocionalmente, só pelo simples facto de se aproximar de nós. O facto curioso é que ele, o Vampiro Emocional, após o contacto conosco sente-se muito bem e revigorado e nós sentimo-nos completamente desfalecidos, doentes.

Para lidar com vampiros emocionais, é necessário:

– primeiro, ter consciência que está perante um Vampiro Emocional, ou seja, saber reconhecer um vampiro emocional e depois,

– ser metódico e aplicar algumas estratégias para combater as influências destas pessoas em nós e na nossa Vida.


Todos convivemos com pessoas tóxicas e não é difícil saber se estamos contaminados, basta observar alguns sintomas em nós da enfermidade espiritual:

  • perda de paz interior;

  • discussões acaloradas fora de todo contexto racional e das boas maneiras;

  • incômodos físicos, dores de cabeça, dores musculares, dores de estômago, enfim, qualquer dor no seu corpo indica a desconexão da fonte adequada de energia e a conexão à uma fonte altamente tóxica para sua saúde.


Existem tipos distintos de pessoas tóxicas e graus de toxicidade:


– Os Intimidadores: pessoas que discutem, sempre querem ter razão, ameaçam, ofendem verbalmente e, no pior dos casos, partem para a agressão física,


Os Cobradores: logo que chegam, estas pessoas começam a cobrar, por tudo e por nada. “Puxa, já nem me ligas! Fiz isto por ti e tu não és capaz de me retribuir?”. E, se você é uma pessoa “cobrável”, começará logo a desculpar-se e acabará sob o domínio do cobrador. Assim que você cede, o cobrador coloca-a na condição de devedora. É o suficiente para a aura dele envenenar a sua. Resultado? Você começa a sentir uma sensação de fraqueza e perda de energia. E como livrar-se dessa influência? Se não puder afastar-se da pessoa, reaja! Não dê atenção às cobranças. A melhor táctica para lidar com este tipo de vampiro é encará-lo e falar a verdade, ainda que tenha de ser duro,


Os Desesperados: este é um dos tipos mais comuns! São pessoas mimadas, carentes, mas não “ajudáveis”, pois nunca fazem nada por si e no fundo, não estão abertas à ajuda. Estas pessoas querem que você faça tudo por elas e ainda são capazes de fazer um escândalo, verdadeiras tempestades em copos de água e ficam tão desesperadas, que acabam por deixar-nos aflitos. Nesse instante, ficam aliviados, e nós ficamos agitados e ansiosos,


– Os Distantes: ignoram-no, transformam-no numa pessoa absolutamente invisível, você simplesmente não existe para elas. E, através de uma atitude maquiavelicamente premeditada, fazem-no sentir-se insignificante. Essa é a ideia: roubar a sua atenção e energia,


Os Aduladores: estão sempre cheios de elogios para nós: “Obrigado por existires! És fantástica! Como te admiro!” e blá blá blá. Logo em seguida, vem a armadilha. E porque razão este tipo de pessoa quer colocar o nosso Ego lá em cima? Pois, com a mestria que tem em manipular os outros, sabe muito bem que quando mexe com nossa vaidade, nós passamos a não prestar atenção em mais nada e rendemo-nos mais facilmente a qualquer pedido. E mal de nós que não façamos o que esta pessoa quer, aí ela revela a sua verdadeira identidade. Cuidado!


– Os interrogadores: são os críticos audazes disfarçados no que, se denomina “crítica construtiva” porém, no fundo, são habilidosos em destruir, pouco a pouco, a sua auto-estima através de um questionamento incessante sobre a sua conduta, actos e maneira de ser, de modo a roubar a sua energia e fazer com que perca o seu valioso tempo,


– Os “Mártires” – aqueles que só se lamentam da sua Vida pessoal, das outras pessoas, da família, dos vizinhos, ou do país, ou das condições do clima, da economia, dos pobres, dos ricos, do que seja! A idéia, neste caso, é fazer com que você se sinta culpado com a sua felicidade e que sinta que não se importa com a realidade alheia. Demonstram um estado mental de pobreza, insegurança e uma grande impotência diante da vida e das circunstâncias. Demonstram uma total inabilidade  de assumir a responsabilidade pela sua Vida e pelos seus actos, na sua totalidade, buscando atenção e carinho, deixando o ouvinte completa e absolutamente sem energia,


Os Impotentes: é da boca destas pessoas que mais ouvimos expressões como: “Eu não consigo”, “Não sou capaz“, etc. Comportam-se sempre como se a vida fosse uma miséria e como se nunca nada desse certo. Se tentamos levantar a sua disposição, eles reforçam a sua impotência. Nestes casos, costuma funcionar quando rebatemos com frases do tipo: “Sim, tens razão, realmente a tua vida está uma porcaria e acho que não tens a menor vontade de melhorá-la. E demonstras isso de forma fantástica!”. Isto irá desarmá-lo e fazê-lo perder o rumo. É o que basta para não se deixar sugar,


Os Desencarnados: os chamados “encostos”. Geralmente quando estamos com uma disposição maravilhosa e de repente ficamos irritados, críticos, cobradores ou sentimo-nos desconfortáveis, pode ser que estejamos na presença de um encosto. Se acontecer algo assim, respire, acalme-se e pergunte-se: “Por que estou a sentir-me assim?”. Quando descobrimos que estamos a sofrer a influência de um vampiro desencarnado, a questão está quase resolvida. Alguns “encostos” ao perceberem que você está atento, deixam de ter poder sobre si e geralmente vão-se embora. Eles só têm poder se você der poder.

A única forma que temos para sair vitoriosos desses encontros tóxicos, é estarmos preparados mental e emocionalmente para entender e compreender quais são os jogos que estão, ou estamos a jogar e decidir se participaremos ou não.

Veja abaixo mais algumas coisas que podem ajudar perante um Vampiro Emocional:


Faça isto:

  • Respire fundo para que se mantenha centrado em si mesmo e para que as tensões do seu corpo suavizem;

  • Preste atenção a alguns sinais intuitivos como arrepios, um repentino gosto amargo na boca, uma sensação de cansaço ou tensão muscular;

  • Mantenha-se calmo e faça uma pausa para que possa definir como reagir. O nervosismo pode ter um efeito contrário àquele que pretende atingir;

  • Algo muito importante a fazer com vampiros emocionais é estabelecer limites. Comunique-se de forma clara, firme, com um tom neutro quando estiver a definir estes limites, para que a pessoa não tenha campo para tentar manipulá-lo. Acredite, ela vai tentar.

Não faça isto:

  • Entrar em pânico ou em estado de nervosismo e irritação;

  • Dizer coisas das quais pode-se arrepender mais tarde, ou usar um tom acusatório. Isto só ira dar mais trunfos ao vampiro emocional;

  • Confrontar directamente e agressivamente a pessoa;

  • Tomar medicamentos para diminuir o stress ou tomar anti-depressivos. Isto não irá curar a causa, apenas irá atenuar os efeitos, para além de torná-lo dependente.

Mas também há um facto muito importante e muito mais difícil de aceitar: muitas vezes “nós” é que somos os sugadores de energia e não sabemos, nem nos apercebemos.

Estas são algumas indicações comuns que você está se tornando um Vampiro Emocional:

  • As pessoas evitam-no ou não conseguem encará-lo durante uma conversa;

  • Você está obcecado por algo ou alguém;

  • Você é constantemente negativo e espalha negatividade ao seu redor através de atitudes como: falar mal dos outros, fofoquice, ser controlador, reclamar da vida, criticar e julgar, falar só de problemas, etc;

  • Você encontra-se num buraco negro emocional, mas não aceita ajuda.

Assim, Seres Maravilhosos, agora que sabem o que é uma pessoa tóxica, fiquem atentos não só aos outros, mas também a vocês mesmos, às vossas atitudes e à forma como os outros se comportam na vossa presença.

Caso se apercebam que vocês é que estão a ser os Vampiros Emocionais e sintam que sozinhos não conseguem reverter esta situação, não tenham medo, nem vergonha de pedir ajuda e apoio, pois pedir ajuda é um acto de força e coragem, ao contrário do que muitos pensam.

Consultem o nosso Directorio, para informações sobre centros e terapeutas que os podem ajudar.

Acima de tudo, plantem sempre, nos vossos corações, muito amor e paz, pois isto não dará espaço à toxicidade nas vossas vidas. Boas energias, bons fluidos e muito Amor no Coração.

E você? Com que tipo de Vampiros Emocionais tem estado a lidar? Ou será que está a ser Vampiro na vida de alguém?

Abraço de Luz


(Texto compilado e adaptado por alma indika)


Fonte: http://alma.indika.cc/pessoas-toxicas/

0 visualização
FALE COM A KATIA!

contato@empatas.com.br  - © 2020 por Katia Di Giaimo. Mediunidade, Empatas, Medium Esponja - Agência Uru